21 de abril de 2021

Valor da cesta básica aumenta 0,30% em SL

 Valor da cesta básica aumenta 0,30% em SL

De acordo com o Dieese, os 12 produtos de primeira necessidade do trabalhador ludovicense custaram R$ 334,13 no mês passado. (Foto: Divulgação)

De acordo com o Dieese, os 12 produtos de primeira necessidade do trabalhador ludovicense custaram R$ 334,13 no mês passado. (Foto: Divulgação)

O custo dos alimentos que integram a cesta básica caiu em 21 capitais brasileiras onde o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) realizou mensalmente, em 2017, a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos. No entanto, em dezembro o valor da cesta aumentou em 14 cidades.

Em São Luís, a cesta básica custou R$ 334,13 no mês de dezembro, fechando o quinto menor valor entre as cidades brasileiras. Houve elevação de 0,30% em relação a novembro. Em 2017, os gêneros alimentícios tiveram queda de 6,16% e, em 2016, a cesta variou 8,73%.

De acordo com os dados da pesquisa do Dieese, o valor médio da cesta básica da capital maranhense ano passado foi de R$ 352,63, o que correspondeu a uma redução de 4,19% em relação a 2016 (R$ 368,04). Em São Luís, foram acompanhados os seguintes produtos em relação à variação de preços: carne, leite, feijão, arroz, farinha, tomate, pão, café, banana, açúcar, óleo e manteiga.

Em 2017, sete produtos tiveram redução de preço: feijão carioquinha (-49,19%), açúcar refinado (-27,02%), leite integral (-16,92%), arroz agulhinha (-16,83%), óleo de soja (-5,41%), tomate (-1,47%) e café em pó (-0,16%). Já as altas ocorreram no valor da farinha de mandioca (0,17%), da carne bovina de primeira (0,68%), da banana (1,01%), do pão francês (3,12%) e da manteiga (12,59%).

Entre novembro e dezembro, houve alta nos seguintes produtos: óleo de soja (0,82%), açúcar refinado (1,55%), farinha de mandioca (1,58%), carne bovina de primeira (2,16%) e tomate (2,45%). O preço do pão francês não variou e outros seis itens tiveram redução: feijão carioquinha (-4,86%), manteiga (-2,45%), leite integral (-1,47%), arroz agulhinha (-0,95%), café em pó (-0,82%) e banana (-0,62%).

Em dezembro de 2017, o trabalhador ludovicense remunerado pelo salário mínimo comprometeu 78 horas e 27 minutos da jornada mensal para adquirir os gêneros essenciais. Em novembro, a jornada foi menor, já que eram necessárias 78 horas e 13 minutos. Em relação a dezembro de 2016, o tempo comprometido foi maior, de 89 horas e 01 minuto.

Quando comparados o custo da cesta e o salário mínimo líquido, ou seja, após o desconto referente à Previdência Social, a relação foi de 38,76%, em dezembro de 2017, e de 38,65%, em novembro último. Em dezembro de 2016, o percentual era de 43,98%.

Com base na cesta mais cara, que, em dezembro, foi a de Porto Alegre, e levando em consideração a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deve ser suficiente para suprir as despesas de um trabalhador e da família dele com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, o Dieese estima mensalmente o valor do salário mínimo necessário.

Em dezembro de 2017, o salário mínimo necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria equivaler a R$ 3.585,05, ou 3,83 vezes o mínimo de R$ 937,00. Em novembro, o mínimo necessário correspondeu a R$ 3.731,39, ou 3,98 vezes o piso vigente. Em dezembro de 2016, o salário mínimo necessário foi de R$ 3.856,23, ou 4,38 vezes o piso em vigor, que equivalia a R$ 880,00.

0 Reviews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *