26 de julho de 2021

RAPOSA: Uma cidade turística e suas faces

 RAPOSA: Uma cidade turística e suas faces

Indicação dos pontos turísticos de Raposa-MA (Foto: Tarcísio Brandão/Rádio Notícia Maranhão)

Indicação dos pontos turísticos de Raposa-MA (Foto: Tarcísio Brandão/Rádio Notícia Maranhão)

Um deserto banhado pelo mar em contraste com uma fauna e flora exuberante. As dunas se confundem com o horizonte e revelam um cenário perfeito para respirar a liberdade.

Raposa, que está localizada a 25km de São Luís,  foi fundada em 1940 por imigrantes cearenses, que sobreviveram à base da pesca e da produção artesanal de peças feitas de renda, práticas ainda presente entre os moradores nos dias atuais. A construção do acesso rodoviário, que ligou o lugar aos municípios da Ilha, em 1974, permitiu que a população da região começasse a crescer.

Em 1994, o vilarejo localizado em São Luís do Maranhão, mas que recebeu o nome de colônia de pescadores cearense, foi emancipada. Considerado um grande bairro, Raposa fazia parte do município Paço do Lumiar.

As principais atividades econômicas da cidade mantêm a tradição passada de pai para filho, permitindo a sobrevivência de gerações e gerações. As renderas fazem com que o cruzamento dos fios de bilros construa peças artesanais que variam de panos de prato a roupas de praia. A rede, principal objeto usado para pescar na região, também é feita de forma caseira.

Além da pesca e da produção de artesanato, as belezas naturais geram turismo, que também se apresenta como uma das principais atividades econômicas. A cidade de Raposa é banhada pelo Oceano Atlântico, que proporciona um verdadeiro espetáculo para quem o vê. O vai e vem das marés modifica completamente a paisagem mostrando um cartão postal de diversas aparências.

Quando a maré está seca uma ilha formada por dunas pode ser alcançada em poucos paços. Seis horas depois, o mar toma conta de tudo e muda por completo da paisagem da cidade. Carimã, ilha que deu a Raposa o título de Fronhas Maranhenses, fica cercada pela Baia de São Marcos. As embarcações enfrentam o mar agitado para fazer a única conexão do local com a Grande Ilha durante a maré alta.

Pôr do Sol visto da Ilha de Carimã (Foto: Tarcísio Brandão/Rádio Notícia Maranhão)

O Maranhão possui a terceira variação de maré do mundo e a maior do Brasil, com diferença de 8h metros entre a preamar e baixa mar. No estado, o fenômeno atinge, principalmente, a baía de São Marcos.  A baía de Fundy entre Nova Brunswick e Nova Escócia, no Canadá, possui a maior variação do planeta, com 17 metros de diferença.

O fenômeno acontece porque a Lua atrai todos os corpos em sua direção, mas como as águas dos oceanos fluem livremente, a mudança é mais visível. Quando a Lua e a Terra estão alinhadas, a Lua exerce atração, no ponto mais próximo, sobre a água do mar, causando as variações da maré em ciclos de 12 horas e 25 minutos, aproximadamente.

As dunas de Raposa contrastam com os manguezais, um dos ecossistemas mais importante da Terra, porque sequestra óxido de carbono da atmosfera amenizando o efeito estufa, e ainda são ‘barreiras naturais’ contra a erosão. A vida também é umas das principais qualidades do manguezal. Organismos, caranguejos, o guará vermelho e milhares de seres dependem dele para existir.

O soprar da natureza e a revoadas dos pássaros tornam essa cidade na Linha do Equador, única.

Além das diferenças da Ilha de Carimã, outros lugares paradisíaco são encontrados em Raposa, como a Praia de Pucau, Ilha de Curupu , Mangue Seco, Croa do Sarnambi, sem contar as casas das renderas que ficam ao longo da avenida principal do centro da cidade.

Mariscada, prato típico da cidade (Foto: Reprodução)

A culinária é um atrativo a mais em Raposa. Em alguns restaurantes e pousadas um prato típico da região pode ser encontrado. Ele representa a ‘Guerra do Mar’. A mariscada é feita com todos os tipos de mariscos encontrados na região envolvidos em um só cozido e é servida com arroz de cuxá, vinagrete e farofa. Quem preferir peixe fresco pronto para preparar pode ir até o porto da cidade e comprar com os pescadores.

Há duas formas de explorar as belezas naturais de Raposa, o passeio náutico, feito pelas agências de turismo ou pela travessia, em que o visitante chega em uma canoa e faz trilhas na Ilha de Carimã.

Das belezas naturais às rendeiras que tercem o crescimento do município nas posrtas das casas, Raposa é um lugar de várias faces encantadoras. Mas o lixo que é descartado de forma irregular pode comprometer a existência das belezas naturais. Os moradores que trabalham nas embarcações recolhem o lixo deixado pelos visitantes e tentam deixar os pontos mais limpos possíveis, mas essa ação não é o suficiente para conter a poluição lançada diretamente no oceano. É necessária coleta seletiva dos resíduos deixados nos pontos turísticos.

0 Reviews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *