20 de junho de 2021

Treinamento sobre emissões atmosféricas é realizado pela SEMA em São Luís

 Treinamento sobre emissões atmosféricas é realizado pela SEMA em São Luís
(Foto: Divulgação)

Com o objetivo de transferir aos profissionais informações sobre instrumentos e métodos utilizados na determinação de emissões atmosféricas de chaminés, dutos e fontes estacionárias, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais do Maranhão (SEMA) em parceria com a Mérieux Nutrisciences realizou esta semana, nos dias 22 e 23 de agosto, o treinamento teórico e prático de emissões atmosféricas.

O treinamento teve como foco consultores, gestores públicos, privados e profissionais da área de meio ambiente, segurança, qualidade, fiscalização e controle ambiental.

Durante os dois dias de treinamento foram ministradas palestras sobre poluição do ar e introdução aos seus problemas atmosféricos; conceitos de poluentes do ar; pontos de amostragens de emissões atmosféricas; determinação de velocidade, vazão, material particulado e óxidos de nitrogênio; principais poluentes; amostragens de HCT, VOC, determinação de fluoretos, metais, emissão de compostos orgânicos semi-voláteis, dioxinas e furanos; dióxido de enxofre, névoas de ácido sulfúrico e trióxido de enxofre e relatório de monitoramento de emissões atmosféricas.

Para o engenheiro químico do Laboratório de Análises Ambientas (LAA) da SEMA, Ilmo Andreisson, “o treinamento ofereceu mais subsídios para a fiscalização da SEMA no monitoramento da qualidade o ar, incrementando as ações que este órgão tem feito no Distrito Industrial de São Luís e no Distrito de Pequiá, em Açailândia, no que tange à atuação das siderúrgicas”.

O vice-presidente da Mérieux Nutrisciences, José André Azevedo, destacou que este treinamento é primordial para haver uma aproximação entre os órgãos fiscalizadores, proporcionando a troca de experiências e metodologias sobre a análise, resultados e confecção de relatórios sobre poluição atmosférica. “A ideia é melhorar cada vez mais o monitoramento para garantir a boa qualidade do ar”, afirmou.

Alessandro Santos, da Siderúrgica Gusa Nordeste em Açailândia, parabenizou a SEMA e a Mérieux pela inciativa em aperfeiçoar os métodos já aplicados no parque siderúrgico, através da elaboração destes monitoramentos atmosféricos. “O setor siderúrgico de Açailândia atende aos itens do decreto nº 299.669/13, sendo acompanhado in loco pela SEMA, dando validade aos resultados e investimentos realizados em prol do meio ambiente” declarou.

0 Reviews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *