13 de maio de 2021

SL tem 2,5 mil aguardando cirurgia ortopédica

 SL tem 2,5 mil aguardando cirurgia ortopédica

Muitos pacientes aguardam por cirurgia ortopédica em São Luís. (Foto: Divulgação)

Muitos pacientes aguardam por cirurgia ortopédica em São Luís. (Foto: Divulgação)

Em meio à crise de repercussão nacional sobre a construção de uma unidade de traumatologia e ortopedia pelo Governo do Estado, a fila de espera para cirurgias ortopédicas é integrada atualmente por 2.500 pacientes em São Luís. A informação é da Secretaria Estadual de Saúde (SES), por meio de nota divulgada na imprensa. A pasta não explicou sobre as causas da quantidade expressiva de pessoas aguardando pelo procedimento. As informações são de O Estado.

Segundo estimativa, a fila de espera por um procedimento cirúrgico no segmento ortopédico deve ser ainda maior, já que a demanda de 2.500 pacientes, confirmada pelo governo, se refere apenas aos confirmados no Hospital de Câncer (antigo Hospital Geral, em São Luís). A quantidade de pessoas no aguardo por uma cirurgia é superior a de estados da Região Nordeste, como o Ceará, que, de acordo com dados do governo, possui atualmente 2.100 pacientes aguardando por uma cirurgia ortopédica.

A falta de assistência na área ortopédica é comprovada por dados do próprio Ministério da Saúde (MS). De acordo com o órgão – com base em levantamento feito a partir dos dados coletados pelo Sistema Nacional de Regulação (Sisreg) – pouco mais de 800 mil pessoas no país estão esperando por um procedimento cirúrgico. Deste total, 22,7% (ou 182 mil pacientes) aguardam por um atendimento na área de traumatologia e ortopedia.

Ainda em nota, o Governo do Maranhão informou que, por mês, são realizadas 70 a 80 cirurgias ortopédicas somente no Hospital de Câncer. Ou seja, considerando a fila de espera e a hipótese do não recebimento de novos pacientes, a unidade de saúde demoraria dois anos e meio para atender a demanda de pacientes atualmente. De acordo com a SES, apesar dos dados graves, os procedimentos considerados de alta complexidade e vídeos cirurgias (como artroscopias) estão regulares.

Problema amplo

Ao mesmo tempo em que o Estado encontra dificuldades para atender o elevado número de pacientes com problemas ortopédicos , a Santa Casa, que mantinham parcerias com o poder público para atender a pacientes com lesões ósseas, por exemplo, teve perda de recursos e foi obrigada a limitar o serviço.

Segundo a direção da Santa Casa, o convênio – ou uma espécie de acordo mantido há vários anos com a Prefeitura de São Luís com contrapartida financeira do Sistema Único de Saúde (SUS), que repassava pacientes da rede municipal para a entidade – foi rompido unilateralmente há três meses.

O provedor da Santa Casa, Abdon Murad, que preside o Conselho Regional de Medicina do Maranhão, disse a O Estado que não sabe porque isso aconteceu. ” O fato é que tivemos este rompimento, o que reduziu ainda mais os recursos e impossibilitou a manutenção do atendimento ortopédico no hospital”, afirmou.

De acordo com o gestor, antes do rompimento do convênio a Santa Casa realizava, em média, 150 atendimentos ortopédicos por mês. Hoje o serviço caiu para uma média de apenas cinco atendimentos mensais. “Não sabemos oficialmente o que aconteceu para este rompimento do convênio”, disse o provedor, em contato telefônico na tarde de sexta-feira, 18.

Até o fechamento desta edição, a Prefeitura de São Luís não se manifestou sobre o fim do convênio com a Santa Casa. De acordo com levantamento feito pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus), somente este ano foram tratados na rede pública 122 fraturas de fêmur e 144 de tíbia, além da retirada de pinos.

Além da Santa Casa, outras unidades da cidade – como os Socorrões e o antigo Hospital Geral – mantido pelo Governo do Maranhão – têm setores específicos para atendimento ortopédico. A reclamação dos usuários é com a falta de atendimento de qualidade e a demora para ter acesso aos serviços. No Socorrão I, por exemplo, O Estado constatou, na tarde de quinta-feira,17, que pacientes com suspeita de algum tipo de fratura não recebiam plenamente o atendimento médico no setor ortopédico.

Portal da transparência

Dados do Portal da Transparência apontam que, somente para este ano, São Luís recebeu R$ 117.262.651,04 para serem aplicados em serviços de média e alta complexidade, que incluem os procedimentos ortopédicos.

Nota do governo

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que, por mês, em média 70 a 80 cirurgias são realizadas no Hospital de Câncer do Maranhão, antigo Hospital Geral. A SES comunica que são regulares os procedimentos de alta complexidade (com cirurgias de ilizarov e artroplastias) e vídeos cirurgias (artroscopias). A Secretaria informa ainda que, atualmente, 2.500 pacientes aguardam por cirurgia na unidade.

MAIS

No Maranhão, de acordo com levantamento do Ministério da Saúde (MS), boa parte dos procedimentos ortopédicos ocorre em pacientes vítimas de acidentes com motocicletas. O estado é um dos líderes no quesito no país e foi o quinto com mais mortes de motociclistas nas estradas somente nos cinco primeiros meses deste ano, de acordo com dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Em vias urbanas, a incidência de feridos em acidentes com motos também é alta.

0 Reviews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *