6 de maio de 2021

Produtores denunciam empresas que abastecem supermercados, mas uma delas esclarecem o caso

 Produtores denunciam empresas que abastecem supermercados, mas uma delas esclarecem o caso

Agricultores cobram pagamento de produtos fornecido a empresas que abastecem supermercados maranhenses (Foto: Divulgação)

Agricultores cobram pagamento de produtos fornecido a empresas que abastecem supermercados maranhenses (Foto: Divulgação)

Produtores rurais dos municípios de Paço do Lumiar, São José de Ribamar e Raposa, localizados na Grande São Luís, denunciam a falta de pagamento das empresas Comercio Ilha Nativa Ltda. – ME e Hortserv Comercio de Hortalicas Ltda – ME, que fornecem seus produtos para supermercados maranhenses.

De acordo com as denúncias, eles foram informados de que os créditos seriam efetuados no final do mês passado, mas até agora não houve nenhum sinal por parte das empresas. A Ilha Nativa e a Hotserve recebem a produção dos agricultores para abastecer prateleiras dos supermercados maranhenses, principalmente, os localizados na região metropolitana.

Os agricultores relatam que forneceram produtos há pelo menos três meses, mas até o momento não receberam os pagamentos. Eles temem terem sido vítimas de golpe e devem prestar queixa à polícia, bem como buscar os órgãos judiciais para receber pelos meses atrasados.

Os principais itens fornecidos são cheiro verde, alface, vinagreira, couve, acerola, carambola, pimenta, macaxeira, quiabo e maxixe produzidos em suas localidades para abastecer supermercados como Mateus, Maciel e Universo, além das feiras da capital. Segundo os produtores, as empresas não teria realizado o pagamento destes produtos a pelo menos 10 fornecedores e prestadores serviços, causando um prejuízo de, aproximadamente, R$ 140 mil. Um deles, por exemplo, alegou que sua dívida é de R$ 14 mil.

Segundo dados obtidos pela reportagem na Junta Comercial, o endereço da Ilha Nativa fica na Rua Inácio Cutrim, 22, Vila Ivar Saldanha, em São Luís. A empresa foi registrada no dia 04 de setembro de 2011. Conforme seu quadro societário, a firma é comandada por Naftaly Silva Carneiro, sócio; e Neemias Alves Vieira, sócio administrador. A empresa tem capital social de R$ 400 mil.

Já o endereço comercial da Hotserv, segundo a Receita Federal, é a Rua dos Buritis, Quadra 07, número 13, Loteamento Amaral de Matos, no município de Paço do Lumiar. Conforme seu quadro societário, a firma é comandada por Lucilene Rocha Silva Vieira, sócia administradora; e Neemias Alves Vieira, sócio administrador. O capital social da empresa é de R$ 300 mil.

DÍVIDAS EM PROTESTOS
Além da falta de pagamento aos agricultores, as empresas também teriam débitos com outros fornecedores, conforme revelou levantamento realizado pela reportagem junto a órgãos de cobranças. Os dados apontam que uma delas – Ilha Nativa –  está sendo cobrada por alguns títulos em cartórios de protesto.

No dia 19 de novembro, por exemplo, a firma foi cobrada via edital de intimação, pelo 1º Tabelionato de Protesto de Letras e Outros Títulos de Créditos da Capital, por um débito no valor de R$ 6.1800 (seis mil cento e oitenta reais) devido à empresa Lima Comercial de Combustível LTDA.

O OUTRO LADO
A equipe do programa Na Hora e do portal RNM – Rádio Noticia Maranhão (radionoticiamaranhao.com.br) tentou por diversas vezes o contato telefônico com as empresas, mas apenas a Ilha Nativa se manifestou, no dia 29 de outubro, por meio de nota e esclareceu o ocorrido, conforme nota em anexo.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

 À Direção do Portal Rádio Notícia Maranhão:

A empresa Comércio Ilha Nativa Ltda. vem a público, por meio desta nota, prestar esclarecimentos sobre a matéria “Produtores denunciam atrasos de pagamento das empresas que abastecem supermercados”, publicada no dia 20/12/2017 no portal Rádio Notícia Maranhão.

Por oportuno, faz-se necessário esclarecer que no período entre 2015 e 2017 a empresa passou, como muitas outras, por momentos difíceis em meio à queda das vendas advinda da crise econômica que assolou o país. Muitas demissões ocorreram no período e, para não aumentar mais ainda o número de desempregados, a empresa iniciou um acordo com seus fornecedores (produtores locais) para pagamento parcelado dos seus créditos, contudo não houve mudança rápida do cenário econômico e, embora não tenha demitido mais funcionários, não conseguiu cumprir o acordo com os produtores naquele momento.

O início do ano de 2018 apontou uma modificação positiva no cenário econômico do país, assim, a empresa buscou novamente negociar os débitos com os produtores, que entenderam a situação e concordaram em parcelar seus créditos. Os valores negociados foram efetivamente honrados nos prazos previstos nesse novo acordo.

A Ilha Nativa preza pela transparência junto a seus clientes e fornecedores e agradece o espaço cedido pelo Portal Rádio Notícias Maranhão para realização de todos os esclarecimentos necessários.

São Luís/MA, 29 de outubro de 2019.

0 Reviews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *