26 de julho de 2021

Maranhão é incluído no alerta de risco da febre amarela

 Maranhão é incluído no alerta de risco da febre amarela
A procura pela vacina contra a febre amarela aumentou nos últimos dias. (Foto: Reprodução)

Devido estar localizado em uma área endêmica da doença, o Maranhão é um dos estados brasileiros que não possui registros de casos de febre amarela recente. Os 217 municípios que compõe o estado estão entre os que integram a Área com Recomendação de Vacinação contra a febre amarela, de acordo com o Ministério da Saúde. Além deles, cidades de 20 estados e o Distrito Federal também estão inclusos nessa área.

Muitas pessoas têm procurado as UBS para serem imunizadas. Na maioria das cidades a movimentação nos postos de Saúde aumentou, mas segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES), quem já tomou a dose da vacina uma única vez não precisa mais ser imunizado.

Em São Luís, mesmo a Vigilância Sanitária negando que a febre amarela esteja chegando ao Maranhão, muitas pessoas também tem procurado as Unidades Básicas de Saúde (UBS) na capital para serem vacinadas, tendo em vista casos da doença terem sido registrados em estados brasileiros, como São Paulo e Minas Gerais.

Segundo o Ministério da Saúde, os casos de febre amarela registrados no Brasil permanecem no ciclo silvestre da doença, ou seja, a doença é transmitida apenas pelos mosquitos encontrados no ambiente silvestre, dos gêneros Haemagogus e Sabethes. Portanto, os cuidados devem ser redobrados para os viajantes que se deslocarem para zonas rurais e áreas de mata.

Mosquito transmissor do vírus da febre amarela.
(Foto: Reprodução)

Viagem

Aos que vão viajar para áreas consideradas de risco ou de recomendação, onde estão inseridos todos os municípios do Maranhão, o Ministério da Saúde recomenda que o viajante receba a vacina pelo menos 10 dias antes de viajar.

No Aeroporto Internacional Marechal Hugo da Cunha Machado, em São Luís, algumas pessoas que estavam desembarcando ontem informaram que não tinham sido vacinadas contra a febre amarela. A médica Silane Marques Serra, que estava vindo de Fortaleza, disse que foi vacinada há algum tempo. ” Estou mais tranquila em saber que apenas uma dose já me deixou imune a essa doença”, contou.

Quem pode ser vacinado

As pessoas a partir de 5 a 59 anos de idade que já tomaram pelo menos uma dose da vacina anteriormente já estão imunizadas e não precisam se vacinar. Já quem nunca foi vacinado anteriormente precisa administrar uma dose.

Já as pessoas que tem 60 anos, ou mais, que já receberam pelo menos uma dose da vacina durante a vida, já podem ser consideradas imunizadas. Entretanto, os que nunca tomaram só poderão receber a dose da vacina apenas após avaliação médica e se residirem em área de risco ou forem viajar para essas áreas.

Para as gestantes, a vacina é contraindicada. Na impossibilidade de adiar a vacinação, como em situações de emergência epidemiológica, vigência de surtos, epidemias ou viagem para áreas de risco, o médico deverá avaliar o benefício e o risco da avaliação.

Já as mulheres que amamentam crianças com a até 6 meses de idade não vacinadas deverão ser vacinadas somente se residirem ou forem se deslocar para áreas com transmissão ativa da doença. Devem, ainda, suspender o aleitamento materno por 10 dias após a vacinação.

Para aqueles que vão viajar para as áreas de risco, devem administrar uma dose com em pelo menos 10 dias antes da viagem, respeitando as precauções e contraindicações da vacina.

Sem registro

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde ( SES), o Maranhão é um dos estados brasileiros que não possui registros de casos de febre amarela recente, apesar de estar localizado em uma área endêmica da doença. Para manter a ausência dos casos, a SES intensificou as ações preventivas de combate a doença com a participação de diversos setores, como a Vigilância Epidemiológica, Sanitária e Ambiental e o Departamento de Imunização.

A principal estratégia é garantir a imunização de pessoas não vacinadas em áreas silvestre, rurais ou de mata, onde o vírus se prolifera mais rapidamente. Inicialmente, a SES enviará equipes para as Regionais de Saúde de Balsas, Imperatriz, Barra do Corda, Rosário e São João dos Patos.

“A situação do Maranhão é muito positiva em relação ao cenário nacional. Há 23 anos não temos nenhum caso de febre amarela no estado, mas precisamos continuar com nossas ações de prevenção. Vamos fortalecer as estratégias, sobretudo, nas áreas de fronteiras e na população que ainda não está imunizada”, explicou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

0 Reviews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *