27 de julho de 2021

‘Mãe almoçou na casa do suspeito no dia que Alanna desapareceu’, diz delegada

 ‘Mãe almoçou na casa do suspeito no dia que Alanna desapareceu’, diz delegada
Delegada Maria Eunice Rubem, titular da Delegacia do Maiobão (Foto: Isaías Rocha/ Rádio Notícia Maranhão)

A delegada Maria Eunice Rubem, titular da Delegacia do Maiobão, que estava responsável pelas investigações do desaparecimento da menina Alanna Ludmilla Borges Pereira, 10 anos, declarou em entrevista ao programa Na Hora, da Rádio 92,3 FM e ao Portal Rádio Notícia Maranhão, que a partir do momento em que o corpo da menina foi encontrado, na manhã desta sexta-feira (03), enterrado no quintal da casa onde morava, o caso passou a ser investigado pela Delegacia de Homicídios, cujo titular é o delegado Arthur Benazzi.

Eunice Rubem revelou que todos os depoimentos prestados sobre o caso servirão para embasar o inquérito policial. Ela afirmou que não descarta a possibilidade de fazer reinquirições das oitivas para saber se houve contradições em relação aos depoimentos.

“A gente pode reinquirir todas as pessoas que já prestaram declarações para saber se vai existir alguma contradição. Então todo esse material que foi produzido aqui eu vou mandar para a Delegacia de Homicídios”, disse a delegada.

Na entrevista, Eunice Rubem contou ainda que o principal suspeito de cometer o assassinato – identificado como Robert Serejo Oliveira, de 32 anos – estava separado da mãe de Alanna, Jaciene Borges Pereira, de quem tem um filho, mas mesmo assim ele visitava a casa dela e ela frequentava a casa dele, tanto que, segundo a delegada, a mãe da vítima almoçou na residência do suspeito no dia que a filha desapareceu.

“Eles estavam dois meses separados, mas essa separação, segundo depoimento do pai do Robert, era uma separação do tipo que ele visitava a casa dela e ela visitava a casa dele. Tanto que nesse dia ela [a mãe da vítima] teria almoçado lá [na residência do suspeito] no dia que ela disse que a criança estava desaparecida”, revelou a delegada.

De acordo com as informações, o suspeito que era vizinho da vítima, chegou a ajudar um tio da menina a fazer uma busca na casa, na tarde da quarta (1º), dia em que a garotinha sumiu. Á noite, Robert Serejo foi ouvido pelo delegado plantonista do Maiobão, Ricardo Pinto Aragão, mas foi liberado após o depoimento e desapareceu.

Antes de sumir, Robert teria ligado para o pai, dizendo que desapareceria “porque estava sendo ameaçado de morte”, segundo contou o pai à polícia.

A mãe de Alanna, Jaciene Borges Pereira, disse que se separou de Robert, pai de seu filho de 4 anos, porque ele vinha tendo alucinações frequentes – “estava vendo demônios”, contou a mãe à polícia.

O corpo da menina Alanna, que cursava a 3ª Série, no Centro Educacional Sagrada Família, em Paço do Lumiar, após passar por necropsia nessa sexta, deve ser liberado para sepultamento neste sábado (4).

0 Reviews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *