26 de julho de 2021

MA é o 2º em ações por improbidade no MPF

 MA é o 2º em ações por improbidade no MPF

Gestores público no Estado enfrentam 225 ações no MPF-MA (Foto: Reprodução)

Gestores público no Estado enfrentam 225 ações no MPF-MA (Foto: Reprodução)

Não é segredo para ninguém a ocorrência de um alto índice de ações de improbidade contra gestores e ex-gestores públicos. Basta observar a quantidade de notícias relacionadas ao assunto diariamente nos meios de comunicação. É impressionante como quase todo dia move-se uma ação de improbidade contra prefeitos, secretários, vereadores e por aí vai. Para comprovar o alto índice de irregularidades ocorridas nessas gestões públicas, o Ministério Público Federal do Maranhão (MPF/MA) divulgou um dado que chama bastante atenção: o Maranhão foi o segundo estado que mais moveu ações de improbidade administrativa no país em 2017.

Segundo levantamento realizado, a Procuradoria da República no Maranhão (PR/MA), no período de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2017, moveu 255 ações de improbidade. O campeão neste quesito foi a Bahia.

A posição maranhense neste ranking de ações de improbidade retrata como o dinheiro público é mal utilizado pelos gestores que estão no poder em suas respectivas cidades. Dentre os casos mais comuns que resultam neste tipo de ações, está a não prestação de contas, a não conclusão de obras e fraudes em licitações.

“Aqui é uma tradição prefeito que perde eleição, que não é reeleito ou terminou o mandato, nos últimos três meses praticamente acaba com toda a prefeitura: leva computador, leva documentação, não presta conta de nada. No Sul do país, você não tem isso. Não existe a não prestação de contas. Não existe essa situação que aqui no Maranhão é muito comum. Você tem algumas situações que fazem com que a gente tenha essa maior quantidade [de ações de improbidade]”, afirmou o procurador da República Juraci Guimarães Júnior.

O procurador lamenta o uso equivocado dos recursos federais por parte dos gestores públicos, principalmente no que diz respeito ao dinheiro destinado à educação e à saúde. Juraci Guimarães Júnior critica, inclusive, os “prefeitos que se colocam como donos do dinheiro público”.

“Você tem ainda no Maranhão e, principalmente no Norte-Nordeste, prefeitos que se colocam como donos do dinheiro público, donos da prefeitura. Essa forma e esses problemas fazem com que você tenha um alto grau de corrupção nessas prefeituras. Isso não quer dizer que esse quadro não esteja melhorando. Esse quadro está em mutação não só no estado como nacionalmente”, disse. (Com informações de O Imparcial)

0 Reviews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *