31 de julho de 2021

Juíza mantém prisão de radialista acusado de pedofilia

 Juíza mantém prisão de radialista acusado de pedofilia
(Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)

No final da tarde da última sexta-feira (29), o locutor e apresentador Francisco Charles Renald Ribeiro Torres, mais conhecido por Renald Café, foi preso após ser acusado de aliciar duas crianças, uma de 10 e outra de 11 anos de idade, durante um evento que estava sendo realizado em um shopping da cidade de Imperatriz.

Ele prestou esclarecimentos sobre o caso, após ter fugido do local e ter sido localizado, posteriormente, em sua casa, localizada em Davinópolis.

Nesse domingo (01), a juíza Ana Beatriz decidiu não revogar a prisão preventiva do radialista, autuado em flagrante no artigo 217 do Código Penal por ato libidinoso contra crianças. A determinação foi anunciada durante a audiência de custódia. Para a juíza, os depoimentos das duas crianças foram um dos pontos principais para a permanência de Renald Café na prisão.

De acordo com o Código Penal, a prática de ato libidinoso (estupro de vulnerável) contra menores é inafiançável e a pena é de oito a 15 anos de reclusão. O acusado permanece na Unidade Prisional de Ressocialização de Imperatriz (IPRI), desde a manhã do último sábado (30).

Entenda o caso

Segundo relato das crianças, que estavam participando de uma feira organizada por uma igreja da cidade, o acusado se aproximou e ofereceu as meninas cartões para que brincassem no parque e também informou a elas que ia ser realizado um sorteio de um aparelho de celular e ingressos para cinema no local. Ao tentar utilizar o cartão para brincar no parque, as menores detectaram que não havia crédito e retornaram a sala de Renald Café.

De acordo com as vítimas, o acusado teria pedido para que entrasse uma delas de cada vez. Na sequência, ele sentou uma das meninas em seu colo, e começou a manter contato sexual friccionando sua genitália no corpo da criança, sem tirar a roupa.

A menina conseguiu fugir do local, após outras crianças chegarem e abrirem a porta do local. A segurança do shopping e os organizadores do evento foram acionados de imediato.

“Renald ainda tentou explicar o ocorrido, mas assim que soube que a polícia e o conselho tutelar haviam sido acionados fugiu pelos fundos do shopping”, explicou o delegado Regional de Imperatriz, Eduardo Galvão, responsável pela investigação do crime.

Posicionamento do shopping

Devido a grande repercussão do caso, o Shopping Imperial, local onde ocorreu o crime, se pronunciou, por meio de nota, e lamentou e disse que é contra qualquer ato de violência nas dependências do shopping. Leia abaixo nota na íntegra.

0 Reviews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *