15 de junho de 2021

Inaugurada Casa da Mulher Brasileira em São Luís

 Inaugurada Casa da Mulher Brasileira em São Luís
(Foto: Divulgação/Governo do Estado)

A partir dessa terça-feira (14), a mulher vítima de violência passa a contar com mais uma entidade de apoio e proteção, com o funcionamento da Casa da Mulher Brasileira, que vai atender casos de violência doméstica, estupros entre outros crimes de gênero sofridos por este segmento.

A unidade, localizada no Jaracati, reúne diversos órgãos e entidades de referência do Município, Estado, Justiça e Sociedade Civil Organizada, e vai funcionar todos os dias, 24 horas. A unidade integra um dos eixos do programa Mulher, Viver sem Violência, do Governo Federal.

O atendimento que será oferecido na Casa da mulher é resultado da integração de diversos órgãos, como Secretarias de Estado, Delegacia da Mulher com Plantão Especializado, Patrulha da Mulher, Ministério Público, Defensoria Pública, Vara Especial de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, Promotoria de Justiça, entidades civis organizadas de apoio e proteção à mulher vítima e demais instituições. A mulher conta, ainda, com o Departamento de Feminicídio, o primeiro do Brasil.

O local oferece atendimento em diversas áreas (Foto: Divulgação/Governo do Estado)

No local, as mulheres poderão contar ainda com atendimento humanizado com salas de acolhimento, recepção, abrigo de passagem com alojamentos, brinquedoteca e demais dependências. Além de atendimento de casos de violência doméstica familiar, casos de estupro, faz encaminhamento aos órgãos de referência, e promove, ainda, ações de geração de emprego e renda, a partir dos serviços do Sine Mulher – primeiro do Brasil – coordenado pela Secretaria de Estado do Trabalho e da Economia Solidária (Setres).

A Patrulha da Mulher, programa coordenado pela Polícia Militar, é outro serviço que estará disponível na estrutura da casa. Composto composta por policiais militares e conta com viaturas para patrulhamento de área e condução de autores, o programa garante maior efetividade da Lei Maria da Penha e cumprimento de ações como medidas protetivas, acompanhamento, encaminhamento, visitação e acolhimento da mulher.

A diretora geral da unidade, Susan Lucena, ressalta que o conjunto de serviços oferecidos permitem todo o suporte para o enfrentamento real das diversas formas de violência contra a mulher. “Toda mulher que precisar de atendimento, a qualquer hora, pode contar conosco”, garantiu.

Estatísticas 

 

A média é de 20 atendimentos na Delegacia da Mulher da capital, diariamente, mas, os casos são subnotificados – não denunciados. A maior parte dos casos ocorrem aos fins de semana, principalmente aos domingos, sendo os autores, geralmente, homens próximos à mulher – pai, tio, irmão e companheiros ou ex-companheiros.

0 Reviews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *