26 de julho de 2021

Horário de Verão: saiba o que muda no Maranhão

 Horário de Verão: saiba o que muda no Maranhão
(Foto: Reprodução /GloboNews)

Um novo ciclo do horário de verão começou neste domingo (15) e se estenderá até o dia 17 de fevereiro de 2018. Os relógios devem ser adiantados em uma hora pelo menos em dez estados e no Distrito Federal. O Maranhão, estado pertencente a Região Nordeste, fica de fora e, com isso, fica uma hora a menos que o horário de Brasília.

A medida que foi estabelecida para diminuir o consumo de energia valerá apenas para as regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal).

Neste ano, o governo chegou a estudar a extinção da prática por considerar que o retorno econômico não era tão expressivo, mas manteve a alternativa.

O QUE MUDA NO MARANHÃO

Apesar do estado não precisar adotar a medida, o horário de atendimento de alguns estabelecimentos públicos e comerciais, principalmente, sofrem alterações, como é o caso das agências bancárias. Com o adiantamento de uma hora, os horários dos voos e aplicação de provas de concursos também sofrerão mudanças.

De acordo com o Sindicato dos Bancários do Maranhão (SEEB/MA), as agências bancárias que funcionavam das 10h às 16h, passarão a atender das 9h às 15h, na capital. Já no interior do Estado, as agências que abriam às 11h passam a abrir uma hora mais cedo, às 10h.

No caso dos Correios, o horário de atendimento no Maranhão não muda. As agências abrem às 9h e fecham às 17h.

Com relação ao horário dos voos em aeroportos no Maranhão, a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) aponta que os horários das passagens são impressos em hora local, por isso, mesmo que as companhias adiantem a partida das viagens saindo do Nordeste do país, o passageiro deve ficar atento ao que está impresso. A Infraero recomenda que, em caso de dúvidas sobre horários, os passageiros entrem em contato com as respectivas companhias aéreas.

Estudantes que irão realizar a prova do Enem no Maranhão marcada para os dias 5 e 12 de novembro, também precisam estar atentos. A prova segue o calendário de horário estabelecido em Brasília, cidade que adere ao horário de verão, ou seja, mesmo sendo aplicada aqui no estado o horário a ser seguido será o da capital do Distrito Federal. Por conta da mudança, os portões no estado irão abrir às 11h. 

Em relação a programação de Rádio e TV, há mudanças em alguns horários. Os telespectadores e ouvintes devem ficar atentos, pois há emissora que não sofre alteração na grade, veiculando seus programas nos horários já pré-estabelecidos.

HORÁRIO DE VERÃO

Adotada pela primeira vez em 1931, a política do horário de verão tem a intenção de reduzir o consumo de energia artificial durante os meses mais quentes do ano. O sistema de mudança temporária do horário permite, por exemplo, que a iluminação pública seja acionada mais tarde.

O horário de verão é considerado uma medida internacional de redução do consumo de energia e de preservação do meio ambiente. Entre os países que adotam a prática estão, por exemplo, Canadá, Estados Unidos, México e países da União Europeia. No Brasil, apenas em 2008 a medida ganhou caráter permanente e passou a vigorar num período fixo, do terceiro domingo de outubro até o terceiro domingo de fevereiro do ano seguinte.

Extinção

O fim do horário de verão chegou a ser considerado pelo governo este ano após a divulgação de uma pesquisa do Ministério de Minas e Energia indicar a perda de eficiência da prática. Dados do estudo indicaram que o pico de gasto de energia está agora entre 14h e 15h em função das altas temperaturas, com o uso de aparelhos de ar-condicionado.

Anteriormente, o pico ficava entre 17h e 20h devido às atividades rotineiras de fim do dia da população, que envolvem o uso mais intenso dos chuveiros elétricos, televisão e demais aparelhos. Atualmente, o uso do ar condicionado, principalmente no início da tarde, tem sido indicado com um dos responsáveis pelo maior consumo elétrico.

Uma consulta pública sobre a adoção ou não do horário de verão em 2017 foi cogitada pelo governo, mas foi desconsiderada por falta de tempo hábil para a tomada de uma decisão válida ainda para este ano.

Mesmo com a redução da efetividade do programa de horário de verão nos últimos anos, a adoção da prática ainda se justifica pelo cenário de baixo armazenamento de água nas represas das hidrelétricas brasileiras. No entanto, ao confirmar que haveria o horário este ano, o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, não descartou a possibilidade de questionar a população sobre o tema no futuro.

0 Reviews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *