27 de julho de 2021

Estudantes do IFMA são xingados de “macacos fedidos” no RJ

 Estudantes do IFMA são xingados de “macacos fedidos” no RJ

O ato de racismo praticado contra os estudantes do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) aconteceu nesta quarta-feira (08) durante uma apresentação sobre o Tambor de Crioula e o projeto de dança Afrodance, dentro do III Encontro Nacional de Núcleo e Estudos Afro-brasileiros e Indígenas (NEABI), que está sendo realizado no Instituto Federal Fluminense, na cidade de Campos no Rio de Janeiro.

Segundo relatos dos estudantes, a recepção e o tratamento por parte dos alunos do Instituto Federal Fluminense não decepcionante, insultando os participantes e nomeando de macacos fedidos e macumbeiros, além dos comentários maldosos questionando a localização do Estado no Brasil e dizendo que o campus fluminense estaria ameaçado devido à presença dos estudantes maranhenses.

“Ao chegarmos ao Instituto fomos recebidos de forma banal, recebidos de xingamentos, fomos chamados de macacos, macumbeiros […] Após retornar de um evento em outro campus e entrar no refeitório suspenderam a sopa ao verem a delegação do Maranhão e serviram pão. Várias pessoas foram insultadas, chamadas de pretos e macacos fedidos. [..] Fomos jantar às 2h da manhã, por conta da falta de respeito”, contou Heric Matheus Diniz Santos em entrevista cedida ao Portal NF Notícias. (Ver vídeo completo abaixo)

A programação do III Encontro Nacional de Núcleo e Estudos Afro-brasileiros e Indígenas (NEABI) segue até está sexta-feira (10), mas a delegação maranhense antecipou o retorno após situação negativa vivenciada pelos estudantes, mas antes realizaram um ato para chamar atenção da administração do campus e repúdiar pelo tratamento recebido.

Posição da reitoria da IFF

Após conhecimento da prática dos atos racistas, injúrias raciais, xenofobia e outros preconceitos por estudantes no Campus do IFF, em Campos, o reitor do Instituto Federal Fluminense, Jefferson Manhães, se pronunciou por meio de um vídeo e pediu desculpa pela ação dos estudantes.

 

“Quero inicialmente dirigir essas palavras aos nossos queridos estudantes do Instituto Federal do Maranhão. Quero pedir desculpas (pausa para choro). Desculpas porque o que aconteceu não representa a comunidade de estudantes e de servidores do Instituto Federal Fluminense. A nossa comunidade está bradando em sons bem altos que não admitimos o desrespeito e a não valorização da riqueza, da diversidade, da possibilidade de crescimento conjunto e de mãos dadas”, diz trecho do depoimento de Jefferson Manhães.

0 Reviews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *