31 de julho de 2021

Entidades se pronunciam sobre depredação de equipamentos da Rádio Capital AM

 Entidades se pronunciam sobre depredação de equipamentos da Rádio Capital AM

No último sábado (21), cerca de 30 pessoas invadiram um terreno no bairro Parque Timbiras. No terreno, funciona o prédio onde fica localizado os equipamentos de transmissão da Rádio Capital AM.

Na noite desta quarta-feira (25), os invasores atearam fogo nas salas do prédio e destruíram todos os equipamentos de transmissão da rádio, que está fora do ar desde ao ataque. Eles também depredaram toda a área e derrubaram as estruturas metálicas das torres de transmissão. Após o ato de vandalismo, vários barracos foram construídos no local.

 

Barracos construídos na área (Foto: Reprodução)

Nesta quinta-feira (26), a direção da rádio se pronunciou, por meio de nota, sobre o ocorrido e classificaram tal ato como “ato de selvageria”. Na ocasião, informou que um Boletim de Ocorrência já foi registrado e que já ingressou com ação judicial para obter de forma legal a reintegração de posse da terra.

De acordo com a direção da emissora, o prejuízo ocasionado pelo ato criminoso já soma mais de R$ 200,00 mil reais. A rádio também informou que outras medidas estão tomadas, inclusive junto a Polícia Federal, para investigar o ocorrido. O terreno, área equivalente a seis campos de futebol, é uma concessão pública e, portanto, não poderia ser invadida.

Área interna do prédio onde ficavam os equipamentos (Foto: Reprodução)

Repúdio ao ato criminoso

Por meio de nota, o presidente da Associação dos Profissionais de Comunicação do Maranhão (ASPCOM), o radialista Flávio Chocolate, repudia o vandalismo praticado a emissora e diz que ações como essas tem que ser apuradas e os culpados punidos com o rigor da lei, tendo em vista que além de causar danos materiais a emissora, prejudica dezenas de profissionais que trabalham diariamente, buscando de forma diga e honesta, levar informação e entretenimento, como também tirar o seu sustento através do rádio e com essa depredação aos transmissores da Rádio Capital, ficaram proibidos de exercerem as suas funções.

Quem também se pronunciou sobre o ato de vandalismo foi a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT) e a Associação Brasileira de Rádio e Televisão (ABRATEL).

Para o presidente da ABERT, Paulo Tonet, é lamentável que pessoas, independentemente do seu propósito, venham a perpetrar atos de violência em detrimento da integridade patrimonial de uma concessionária de serviço público. “A ABERT repudia qualquer ação arbitrária que atente contra a liberdade de imprensa e o pleno funcionamento da radiodifusão. A Associação espera, ainda, a rigorosa apuração dos fatos e a punição dos responsáveis”, afirmou o presidente a instituição.

Já a ABRATEL considerou a atitude inaceitável. Disse que acredita que ataques como esse são típicos de cidadãos que não sabe respeitar a democracia, tão pouco, a liberdade de imprensa e opinião. Reitera que nada justifica essas ações e se coloca a disposição da emissora para quaisquer necessidades.

Torre de transmissão (Foto: Reprodução)

0 Reviews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *