20 de junho de 2021

Caso Nenzin: investigação aponta filho como autor dos disparos

 Caso Nenzin: investigação aponta filho como autor dos disparos
Nenzin, como era conhecido o ex-prefeito de Barra do Corda, foi morto após suspeitar que seu filho estava furtando gados da sua fazenda. (Foto: Reprodução)

A Polícia Civil do Maranhão concluiu nesta quinta-feira (27), as investigações do assassinato do ex-prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa, o Nenzin.

De acordo com a conclusão do inquérito, Manoel Mariano Júnior, o Júnior do Nenzin, é o autor dos disparos que consumaram a vida do pai. No decorrer  das investigações, a polícia ouviu depoimentos de mais de 20 pessoas. Agora, o caso será encaminhado ao Ministério Público do Maranhão (MP-MA).

“Não temos dúvidas que Manoel Júnior efetuou os disparos contra o pai. Já suspeitávamos dele e por isso solicitamos a sua prisão temporária e depois a preventiva de imediato. Agora os laudos das perícias comprovaram tudo. O caso será encaminhado ao Ministério Público, que pode apresentar novas denúncias ou requisitar novas diligências”, relatou o delegado Lúcio Rogério, titular da Superintendência de Homicídio e Proteção à Pessoa do Maranhão (SHPP).

A caminhonete onde Nenzin foi assassinado, uma Ford Ranger prata, passou por três perícias pelos peritos de São Luís e Imperatriz. Durante as investigações ficou comprovado que Francisco David, primo de Mariano Júnior, o ajudou na execução do crime. Ele lavou o carro, que pertence a ele próprio, para esconder ou tentar apagar vestígios do crime. Francisco responde por fraude processual.

O filho do ex-prefeito, Manoel Júnior, está preso desde o dia 8 de dezembro, dois dias após o assassinato, quando teve sua prisão preventiva decretada.

Nos seus depoimentos ele negou qualquer participação na morte do pai. Mas a Polícia Civil já suspeitava de que Júnior de Nenzin tinha envolvimento ou até mesmo a autoria dos disparos, como apontou o inquérito. A Polícia fará uma restituição do crime.

Relembre o caso

O ex-prefeito da cidade maranhense de Barra do Corda, Manoel Mariano de Souza, conhecido popularmente como Nenzin, foi assassinado na manhã do dia 6 de dezembro, enquanto retornava de uma visita a um advogado no loteamento Morada do Rio Corda (situado às margens da BR-226, na saída da cidade).

De acordo com a polícia, Nenzin estava no banco do carona de uma caminhonete dirigida por seu filho, Manoel Mariano Júnior, quando pediu para parar o carro supostamente para urinar. Segundo depoimento de Júnior, neste momento, Nenzin teria sido abordado por dois homens não identificados, que estavam em uma motocicleta. Um deles atirou no pescoço do ex-prefeito. O fato ocorreu por volta das 8h30.

Posteriormente, as investigações apontaram que o ex-prefeito foi morto dentro da própria caminhonete e que essas pessoas nunca existiram.

Segundo as investigações da Polícia Civil, o filho da vítima estaria furtando, com a ajuda de outros suspeitos, cabeças de gado da fazenda do pai, que antes possuía cerca de 600 animais e a quantidade foi reduzida para 81.

O ex-prefeito Nenzin desconfiava dos furtos e no dia que iria fazer a contagem dos animais foi morto antes de chegar à fazenda. Mesmo com a conclusão do inquérito e o envio ao Ministério Público, a polícia via continuar investigando e rasteando algumas ligações para tentar descobrir se Manoel Júnior contou com a participação de outras pessoas na consumação do crime.

Participação

Segundo a polícia, três pessoas teriam tido participação direta no assassinato de Manoel Mariano de Souza e que indiciados no inquérito encaminhado ao Ministério Público.

Além de Manoel Mariano Júnior, as três pessoas também estão presas suspeitas de participarem do crime. Os presos são: Antônio Filho que escondeu Manoel Filho na residência e com ele foi encontrada uma pistola 380, Francisco David que ajudou a levar a caminhonete para outro local, lavou o veículo e retirou os bancos melados de sangue, e Luzivan Rodrigues, que era vaqueiro da fazenda de “Nenzin” e ajudava Manoel Mariano Júnior no furto.

0 Reviews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *