20 de junho de 2021

Atraso no salário gera reclamação entre merendeiras

 Atraso no salário gera reclamação entre merendeiras

Parte das merendeiras que prestam serviço à Prefeitura de São Luís cobra a quitação de pagamentos de salários em atraso da empresa SP Alimentação – contratada para o fornecimento de merenda escolar nas escolas municipais. De acordo com as denúncias, a empresa teve o contrato rompido com o Município. No entanto, não quitou as pendências financeiras com as trabalhadoras. As informações são de O Estado.

Ainda segundo a denúncia, o desligamento da SP com a Prefeitura aconteceu no início do mês passado. Desde então, iniciou-se o processo de demissão das trabalhadoras, que não teriam recebido aviso prévio e o pagamento de decisões jurídicas favoráveis a elas. Procurada para falar sobre o assunto, até o fechamento desta edição, a Prefeitura de São Luís não emitiu qualquer parecer.

O último posicionamento oficial do Munícipio sobre o tema aconteceu no dia 19 de abril deste ano. À época, a gestão pública não somente informou que as merendeiras “estavam trabalhando normalmente nas unidades de ensino”, como confirmou que averiguaria a informação de que o serviço de merenda escolar em escolas municipais havia sido suspenso.

Nenhum representante da empresa SP Alimentação foi localizado para falar sobre o tema. Este é apenas um dos problemas que a Prefeitura deverá resolver na educação pública nas próximas semanas. Apesar de decisão judicial favorável ao Município, que requereu a volta imediata dos professores em greve desde o dia 1º deste mês às salas de aula, a direção do Sindeducação informou que o setor jurídico da entidade recorreu do parecer.

Além de problemas com o fornecimento de alimentos aos alunos e ausência de docentes em salas de aula, o Município ainda não iniciou as reformas em boa parte das unidades de ensino da cidade. Em unidades como o Alberto Pinheiro (Centro), os serviços estruturais foram suspensos por alguns dias por falta de pagamento aos trabalhadores.

Em contrapartida, o Município alega que já reformou 60 unidades escolares e que, até o fim deste ano, outras 60 escolas reformadas serão entregues. As duas últimas foram as Unidades de Educação Básica (U.E.B.) Menino Jesus de Praga e Tom e Jerry, no Planalto Vinhais II. As entregas aconteceram no último sábado (12).

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação (Semed), informou que a empresa SP Alimentação foi contratada por tempo determinado, por meio de licitação, para prestar serviços terceirizados ao município. Contudo, frisa que o contrato foi finalizado no tempo estabelecido, tendo sido feita nova licitação, como determina a legislação, estando já outra empresa operando em lugar da SP. Apesar de indagado, o Município não prestou esclarecimentos sobre as pendências financeiras alegadas pelos trabalhadores.

0 Reviews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *