9 de maio de 2021

Ações de combate ao Aedes são realizadas em prédios públicos

 Ações de combate ao Aedes são realizadas em prédios públicos

(Foto: divulgação)

(Foto: divulgação)

O combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika, precisa ser permanente, em especial nesta época do ano, quando as temperaturas elevadas e as chuvas aumentam o risco de formação de criadouros. O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), tem intensificado a orientação à população sobre as principais formas de prevenção. Na segunda-feira (08), o Programa Estadual da Dengue iniciou o monitoramento em prédios públicos na Região Metropolitana de São Luís.

A superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças da SES, Maria das Graças Lírio, explica que a ideia é atuar de forma preventiva, identificando focos e orientando servidores para melhor atuar nesses órgãos públicos. “Estamos fazendo esse trabalho em colaboração com o Município, assumimos a inspeção de todos os prédios públicos estaduais e alguns federais. Dessa forma, estamos protegendo o trabalhador e a população que ali é atendida”, comentou.

Em São Luís, agentes de endemias do programa visitaram a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged), no São Francisco, e para cobertura do entorno, o Asilo de Mendicidade. Na Aged, não foi encontrado nenhum foco do mosquito, entretanto, os profissionais orientaram os servidores sobre o melhor acondicionamento de garrafas, que aguardavam para serem transportadas para incineração.

Já no asilo, a equipe encontrou cinco focos com a larva em bebedouros de passarinhos e piscinas para patos, fazendo a remoção com larvicidas. Funcionários do local receberam todas as orientações para evitar situações semelhantes.

“Passamos informações educativas para a população sobre o controle do Aedes. Semanalmente, é preciso fazer a lavagem de tanques, piscinas, bebedouros e outros, além da remoção de lixo, como copos e garrafas. Cisternas e tanques precisam ser bem tampados, para não ficarem vulneráveis, e se possível fazer uso de água sanitária nesses locais”, orientou Valber Pires, supervisor de Controle Vetorial do Programa Estadual da Dengue.

Outra ação desenvolvida pelo programa é a formação de brigadistas nos órgãos públicos estaduais, para que de forma permanente, sempre às sextas-feiras, façam a vistoria e eliminação de criadouros do mosquito. Identificada uma situação de risco, os brigadistas informarão as equipes do Programa Estadual da Dengue da SES.

0 Reviews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *